Ninguém alem de mim

139462340_largeComprei roupas pra ninguém hoje e me maquiei pra ninguém; pra ninguém ver, além de mim, para que só eu sinta esse prazer do consumo, da vaidade e essa futilidade, que agrada quando o resto falta. Eu tenho conteúdo, tenho essência, mas não ando do avesso, quem tem bons olhos atravessa essa minha pele branca, cheia de pintinhas e me vê. Coloquei a música agitada, do tipo que nem tem letra, mas você se remexe toda e tem vergonha de mostrar aos outros como dança. Ouvi o cd inteiro da Duffy enquanto estava deitada e me senti a mais alegre das gurias, viajei pra outro tempo, outro momento e tudo era bom; ri de uma brincadeira e me senti abençoada. Eu brinquei de ser feliz, mas nem pintei o meu nariz. Eu desisti de achar culpados; eu desisti dessas missões, eu olhei pra mim, pro céu, pro mundo, pra vida e desisti: eu quero mais. Às vezes, você tem que ajudar a si mesma, e fazer isso pode ser muito mais difícil do que pedir ajuda aos outros. As coisas realmente passam, mas quando a gente abre a porta e permite que elas se vão, é ainda melhor. Entrega a mala, despeja, diz que já não dá mais. Sai fora dor, adeus indecisão, confusão aqui não mais. Abra janelas, portas, em si mesmo, e deixe ir. Hoje dói, amanhã nem tanto e daqui a um mês, vamos estar sorrindo de novo. Apenas tenha calma, todo machucado leva um tempo pra sarar. Essa pressa toda, nunca nos levou a nada; só trouxe ansiedade, causou acidentes, batidas. Quanto mais bola se dá pra tristeza, mais ela quer jogar: com a gente. As coisas mudam quando você muda: a forma de pensar, de enxergar e lidar com as coisas. Não exija mudanças se não se dispõe a uma transformação, íntima. Nem sempre a vida vai ter aquele colorido de quem está apaixonada, mas eu vivo tão bem no preto-e-branco, é tão retrô, tem tanto estilo, que eu me adapto. A gente sempre se adapta, e quando não, damos um jeito. Parar de procurar o amor, é que eu não posso; nem de esperá-lo, numa tarde sem graça. Cansam todos os caos causados por negativas, entregas recusadas pelo destinatário. Se doer por coisa pouca, se afogar em lágrimas bobas, usar a intensidade como corda no pescoço, que asfixia, me nubla a vista, complica o simples. Relaxe, respire, deixe fluir. Coloque mais fé em si, ao invés de acreditar nos outros e no que eles dizem. Brinque de ser feliz: cante e dance ao ouvir sua música, relaxe, sorria sem motivo óbvio, sorria pro mundo que ele sorri de volta pra você. Deixa, deixe, aprenda a usar o verbo deixar. Desapegue, solte, deixe voar, quem quer, sabe voltar. Um dia a gente quebra a cara, vê que não se pode idealizar e nem esperar muito do outro, e apenas vive, da melhor maneira possível. Seguimos vivos e esse é o mais maravilhoso: a gente suporta e dá o nosso jeito, a gente chora, mas sempre arranja razões pra sorrir. Não queira tudo que tem por aí, ame e preserve o que tem, isso pode bastar se você relaxar e aproveitar o que é seu. Um dia as gurias abrem os olhos e descobrem que romantismo demais pode ser babaquice e que os tempos mudaram, amor é blasé. Um dia os caras abrem os olhos e descobrem que não se pode ficar só na zuação com amigos, bebidas e cigarros, a vida fica vazia. Beije tendo de cor a lição de Shakespeare de que beijos não são contratos; saiba que a saudade que sentimos do outro, nem sempre é proporcional a que sentem da gente - embora devesse ser. Mas isso não quer dizer que não sentem. Desista de chorar por ligações não recebidas: às vezes não é a nossa semente que não é forte o suficiente pra fincar no solo cardíaco do outro, e sim, esse solo que é infértil. Momentâneo e temporal; vai-e-vem, a vida é assim. Seja feliz ao natural, instantâneamente, é brincadeira, é fácil se você ignorar os pormenores. Felicidade sempre não é obrigação, mas dar a ela 15 minutinhos de fama é dom. Se eu fosse morrer por tudo que não dá certo ou que “não rolou” na minha vida, eu estaria morta há anos. De quantas batalhas a gente não saí viva, pra acabar se metendo em outras guerras? Cuide das feridas, essas sim são prejudiciais; são os detalhes que nos machucam, estragam, transformam. Nem tudo vai dar certo então não dê tanta atenção pra isso, tem coisas que dão certo e são uma porcaria. Depois que a gente passa por certas coisas, muda toda a nossa forma de ver e lidar com elas quando passarmos por elas futuramente, por isso é tão importante que saíbamos nos recuperar, assim, nenhum tombo nos assusta. Liberte-se desses seus padrões e desses conceitos, mude seu dicionário vital. Brinque de ser feliz, faça a sua felicidade em rima, em banho de chuva, em pão de queijo, em filme debaixo do edredom, em comida de mãe, conselho de irmã. Se inspire na felicidade infantil, porque as crianças brincam com isso, brincam de ser felizes, porque sorrir hoje vale mais do que uma felicidade rotineira. Crianças são felizes sem levar tudo tão a sério, sem cobrar tanto da vida e de si mesmos, porque elas esquecem desentendimentos rapidamente e saem para se divertir de novo. Brinque de ser feliz, e realmente seja

Um comentário:

Chassy Cher disse...

Nossa, que blog lindo!!
Seguindo, segue de volta?

http://blog-sweetpoison.blogspot.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...